Artigo

Vereador Elton Carvalho: afinal, o que é tolerância?

 

No dicionário do Aurélio há duas definições que se adéquam ao ocorrido no último dia 18. 

 1º definição - Condescendência ou indulgência para com aquilo que não se quer ou não se pode impedir.

2º- Boa disposição dos que ouvem com paciência opiniões opostas às suas.

Se tolerância é o ato de aceitar o outro a intolerância e a falta da mesma, e o Aurélio a define como violência; seja ela física, verbal ou emocional. 

Sobre o cartaz exposto pelos alunos acercas das religiões, faltou um pouco de tolerância e pensamento critico auto avaliativo. Não se estava sendo ensinado aos alunos que uma religião é melhor ou mais certa que a outra, mas que todas devem ser respeitadas, independente de como determinada religião define as demais. 

Mas para aqueles que acham que a intolerância não é tão perigosa vale relembrar o caso da menina de 11 anos do Rio que no ano de 2015 levou uma pedrada após estar saindo de um culto do candomblé com sua família, em entrevista a avó da menina diz que os agressores levantaram sua bíblia e as chamaram de diabo alem de dizer que iriam para o inferno e que Jesus estaria voltando. Não estou falando contra o cristianismo nem mesmo contra Jesus, mas a pessoas intolerantes que talvez não tiveram a oportunidade de discutir sobre o tema na escola, e estas estão na política, no candomblé, nas igrejas, em todas as esferas da sociedade.  Se a nossa geração é intolerante à esperança esta na geração futura, e quem as ensinará a sair do senso comum e refletir ou então respeitar a opinião do outro mesmo não concordando se não a escola? Quem ensinará as crianças que uma vida vale mais que uma ideia? 

Quanto ao segundo cartaz, o que tenho a dizer como homoafetivo é que vejo em partes um sinal de tolerância da sociedade. Meu próprio posto como vereador o demonstra. Entretanto não quero apenas defender ao grupo ao qual pertenço, mas lembrar de que todos merecem ser respeitados e amados.  O meu papel como vereador é garantir o Maximo de direitos que todos merecem, independente de gênero, classe ou etnia. Sempre visando o bem estar do outro acima do meu, não posso impor algo que vivo para outras pessoas que não desejam viver igualmente, mas devo respeita-los a ama-los. Tenho grande apreso pelas mídias, contudo a forma que a mesma expos a noticia não ficou tão clara gerando uma má interpretação pelos munícipes que focaram no LGBT quando na verdade se trata de intolerância em todas as roupagens e para todos os grupos sem especificações.  

Por fim, termino minha fala com uma frase antiga que diz:

“O seu respeito vai ate onde o meu começa”. Não se resolve nada com agressividade e violência. Precisamos entender que mesmo vivendo em um mundo diversificado, somos seres singulares onde cada um tem o direito de ser, viver, pensar e se expressar como quiser e ainda assim ser respeitado e respeitar aqueles que não pensam igual.  (DIÁLOGO)

 

Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Cirurgia será transmitida em tempo real, via internet, do Centro Cirúrgico da Santa Casa

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

4

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

5

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos