Artigo

Depressão não é tristeza

Ricardo Soares /Psicólogo

Em algum momento da vida todo mundo já se sentiu ou irá se sentir triste, pois coisas ruins acontecem em todo lugar e com todo mundo, ninguém passa pela vida sem ter momentos difíceis. Mas e quando esta tristeza não passa de forma alguma e começa a atrapalhar a nossa vida? A Depressão é considerada um dos transtornos mentais mais comuns e incapacitantes no mundo, mais de 350 milhões de pessoas convivem com a depressão em suas vidas. Há o Transtorno depressivo maior que é uma condição onde a pessoa sente um constante humor negativo, uma visão negativa de si mesmaavaliando-se de forma depreciativa, como desprovido de qualidades e habilidades , e uma perda de interesse por coisas que antes geravam prazer, acredita que sua condição atual nunca irá mudareimagina que no futuro, sua insatisfação com seu presente permanecerá ou poderá aumentar ,percebe o mundo externo como: hostil, injusto e rejeitador .

A pessoa se sente assim na maior parte do tempo, durante muitas semanas, meses e até por mais tempo, e essa é um das principais diferenças entre ter depressão e sentir tristeza que é algo mais passageiro. Pessoas com Depressão pensam diferente de pessoas sem depressão. Geralmente elas apresentam pensamentos negativos e de desesperança que refletem como elas enxergam o mundo a sua volta, elas atribuem um significado negativo as experiências de sua vida (eu sou um fracasso, eu nunca vou conseguir ser feliz, nada vai dar certo na minha vida, etc). Esses pensamentos surgem a partir de crenças negativas comuns entre pessoas com Depressão, crenças sobre si mesmo, o mundo e o futuro. No caso das pessoas com depressão elas tendem a prestar mais atenção e dar mais importância a informações que apoiam suas crenças negativas e ignoram ou desvalorizam a importância de informações contrárias a essas crenças. Isso leva a fortalecer as crenças negativas da pessoa ao longo do tempo e gera sintomas mais severos.

Aspectos biológicos

Sabemos que hormônios liberados durante situações de grande estresse podem alterar o funcionamento dos neurônios, especialmente se essas situações aconteceram em determinados períodos da infância e de maneira prolongada e isso pode estar relacionado a uma maior propensão de desenvolver depressão. Pesquisas indicam que o hipocampo, uma região do cérebro envolvida no funcionamento da memória, pode ser danificado a partir da liberação contínua desses hormônios, e isso pode levar a uma mudança até mesmo anatômica nessa região do cérebro que predispõe tais pessoas a depressão.

As pessoas com depressão podem se sentir tão impotentes, apáticas e desesperançosas com suas vidas que suas relações com os outros e as suas atividades cotidianas podem ser extremamente comprometidas, levando a uma maior propensão a se isolar socialmente e a realizar tentativas de suicídio. A depressão é uma condição que afeta não apenas as pessoas com o transtorno, mas todas as pessoas próximas e a própria economia do país, já que a depressão é uma das maiores causas de afastamento no trabalho. Apesar do conhecimento sobre depressão e de como ela é perigosa, ainda assim não é levada a sério por muita gente. Muitos pensam que se trata de algo controlável, passageiro ou nada sério demais. A depressão não costuma estar sobre controle consciente da pessoa e pode prejudicar seriamente a vida dela. Sem ajuda profissional pode ser extremamente difícil lidar com essa condição. A Terapia Cognitivo-Comportamental tem se mostrado uma das formas mais eficazes no tratamento da Depressão. Algumas dicas para ajudar pessoas com depressão: deixar o preconceito de lado e procurar um profissional qualificado que possa te ajudar, isso pode fazer toda a diferença, tentar se envolver em atividades físicas e sociais, tais como: práticas esportivas e encontros com amigos. O envolvimento regular com essas atividades pode ter vários efeitos benéficos e reduzir os sintomas.

 

Depressão é algo sério pode matar e também pode ser tratada. A Depressão é um problema de saúde pública e um dos transtornos mentais mais comuns. Os principais sintomas a serem investigados são: tristeza, desânimo, angústia, falta de vontade, choro com facilidade e anedonia (dificuldade ou impossibilidade de sentir prazer), alteração no apetite, no peso e no sono, diminuição da libido, agitação ou retardo psicomotor. O padrão de pensamento está ligado a sentimentos de inferioridade, desvalorização, incompetência, culpa e dificuldade para tomar decisão. É importante lembrar que existem outros tipos de Depressão e que ela pode estar associada a outros tipos de transtornos.

Após várias discussões entre pesquisadores, parece que se chegou a um consenso de que a causa da Depressão teria uma origem biopsicossocial, ou seja, biológica, psicológica e social, sendo uma doença de causa multifatorial.

 

 

Ricardo Soares 
Psicólogo-CRP 06/132226
Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental
Av. Dr. Carlos Botelho, 1158, Sala 06, 2º Andar.
São Carlos-SP Contato: (16) 9 91249738

https://www.rickpsico.com

 

Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Cirurgia será transmitida em tempo real, via internet, do Centro Cirúrgico da Santa Casa

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

4

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

5

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos